Google+

8 preocupações sobre gestão de riscos nas empresas

Apesar das expectativas de crescimento um pouco melhores, as economias de países desenvolvidos enfrentam ambientes regulatórios e de compliance cada vez mais complexos no período que se segue à crise financeira. Ao mesmo tempo, capitalizar oportunidades no mundo emergente requer que as empresas entendam os novos mercados e aprendam sobre os riscos correspondentes. Consequentemente, a gestão de riscos continua sendo um importante assunto na pauta corporativa global.

timthumb.jpg

Em dezembro do ano passado, a EIU (Economist Intelligence Unit, do grupo The Economist) realizou uma pesquisa global que contou com a participação de 1.092 diretores executivos. O levantamento buscou explorar como as empresas estão se adequando à integração de uma estrutura conceitual holística de governança, risco e compliance (GRC) por toda empresa. As principais constatações da pesquisa, as quais serviram de base para a elaboração do relatório Expectations of Risk Management Outpacing Capabilities – It's Time For Action (Expectativas de como o Gerenciamento de Riscos Pode Aumentar a Sua Atuação - É hora de agir), são:

1. O gerenciamento de riscos é visto como uma atividade que contribui significativamente para os negócios. Contudo, as organizações precisam aprimorar a maneira com que avaliam como o gerenciamento de riscos traz retorno em relação aos seus investimentos e a maneira pela qual comunicam a sua estrutura e processo de gerenciamento de riscos, os valores gerados e a eficácia da sua aplicação aos seus stakeholders. 

2. Os executivos continuam enfrentando desafios em relação à avaliação da exposição a riscos nas empresas que atuam.

3. Os executivos consideram o gerenciamento de riscos de extrema importância, mas são poucas as organizações que possuem o seu apetite ao risco definido.

4. As pressões e mudanças relacionadas ao ambiente regulatório são os elementos que representam a maior ameaça às corporações, segundo os entrevistados; já a instabilidade econômica e política em âmbito global é vista como a maior ameaça no cenário de riscos.

5. Entrevistados acreditam que as unidades de negócio estão mais aptas a avaliar os seus riscos e gerenciá-los do que uma área específica de gestão de riscos, de compliance ou de auditoria interna.

6. A falta de recursos humanos e de especialistas no assunto impede a convergência das funções de controles internos e de gerenciamento de riscos (considerar o gerenciamento de riscos como parte da estrutura de controles internos da empresa).

7. Estruturas deficientes de incentivos na remuneração impedem a tomada de decisões baseadas em riscos.

8. Os gastos para aprimoramento do gerenciamento de riscos continuarão a aumentar ao longo dos próximos três anos.

Conheça a gestão de riscos empresariais da Premiumbravo.

fonte: administradores.com.br

Voltar