Google+

Não envie sua declaração de IR sem checar esses 7 pontos

Veja o que você deve verificar antes de mandar sua declaração de imposto de renda para não errar e não cair na malha fina

Premiumbravo-leao

Terminou de preencher a declaração de imposto de renda? Então fique atento a esses sete pontos que você não deve deixar de revisar antes de entregá-la à Receita, para não errar e acabar caindo na malha fina:

1 Verifique novamente todos os valores

Cheque se todos os valores foram preenchidos corretamente, principalmente os dos rendimentos tributáveis, como salários, aluguéis, comissões e outros rendimentos sujeitos à cobrança de imposto de renda.

“Agora as pessoas já estão com pressa porque o prazo de entrega já está acabando, então acabam ficando desatentas”, diz Eliana Lopes, coordenadora de imposto de renda da H&R Block.

2 Veja se preencheu corretamente os rendimentos de seus dependentes

Se seus dependentes têm rendimentos, tributáveis ou não, eles precisam ser informados na sua declaração de IR. É o caso da bolsa-estágio de um filho, do salário da esposa ou da aposentadoria do pai. Verifique se você os declarou e se o fez no campo correto.

“Na pressa, algumas pessoas colocam os rendimentos dos dependentes no campo do titular, mas precisa ser no quadro dedicado aos dependentes”, diz Eliana, referindo-se ao quadro em separado existente em cada ficha de rendimentos.

3 Certifique-se de que declarou todas as fontes de rendimentos

De acordo com Eliana, a omissão de fontes de rendimentos é um dos principais motivos que levam os contribuintes à malha fina. Por isso, certifique-se de que você não se esqueceu de nenhuma fonte pagadora. Por exemplo, o recebimento de um aluguel ou de um cliente pessoa física, se for o caso.

4 Verifique se você declarou o aluguel do seu imóvel

Se você mora de aluguel, você precisa declarar o aluguel pago, ainda que essa despesa não seja dedutível.

Vídeo: Devo declarar ganhos e aplicações isentos, como a poupança?

5 Cheque se você não se esqueceu de declarar nenhum bem

Quem é obrigado a entregar a declaração é obrigado a declarar como bens saldos em contas correntes e aplicações financeiras superiores a 140 reais cada um – como a caderneta de poupança; veículos automotores, embarcações e aeronaves de qualquer valor; bens de valor de aquisição superior a 5 mil reais, como um imóvel ou uma obra de arte; e conjunto de ações, cotas de empresas ou ouro ativo financeiro de valor superior a mil reais.

Muita gente deixa de declarar, por exemplo, um imóvel que lhe foi doado, ou se esquece de declarar um bem de alto valor que antes sempre era declarado.

Outro esquecimento que pode ocorrer é a omissão de um bem pertencente a um dependente, como a caderneta de poupança do filho.

Verifique uma última vez a sua ficha de Bens e Direitos para se certificar de que não se esqueceu de incluir ali nenhum bem.

6 Veja se suas dívidas foram declaradas

Se você acha que não precisa declarar empréstimos que fez com parentes ou com o banco, pense novamente. Suas dívidas acima de 5 mil reais precisam ser informadas na ficha Dívidas e Ônus Reais, com a identificação do banco ou financeira que concedeu o crédito ou da pessoa física que lhe emprestou o dinheiro.

Só não declare nessa ficha os financiamentos que tiverem como garantia o bem que está sendo financiado, como um financiamento de carro ou imóvel. Nesses casos , o bem só deve ser declarado pelo valor efetivamente pago até 31 de dezembro de 2013 na ficha Bens e Direitos.

7 Use a funcionalidade “verificar pendências”

Eliana Lopes orienta os contribuintes a usarem a função “verificar pendências”, último item da aba “Fichas da declaração” no Programa Gerador da Declaração.

“Essa função aponta os erros no preenchimento da declaração. Ali é possível ver, por exemplo, se algum CNPJ foi preenchido errado, ou se algum campo obrigatório deixou de ser preenchido”, explica.

Voltar