Google+

O uso de balanças digitais em inventários

O gerenciamento do estoque é um ponto crucial para o bom andamento dos negócios de uma empresa, desde evitar a recompra de produtos que já se encontram disponíveis, como o desgaste ou até mesmo a perda de clientes, insatisfeitos por não receberem seus produtos.

Quando falamos de empresas que vendem produtos pequenos, diversificados e em grande volume, o controle sobre os estoques torna-se mais difícil e oneroso, pelo tempo gasto na contagem e falhas do processo manual de apuração.

Qual a solução para esse problema?

Ainda pouco conhecida no Brasil, a balança contadora de peças é a resposta ideal para esse tipo de controle, pois alia a otimização no tempo de contagem a um baixo investimento, recuperado em pouco tempo.

inventari_magazzino_1.jpg
inventari_magazzino_1.jpg

Mas como funciona?

É muito simples utilizar esse método de contagem: Basta descobrir o peso unitário de uma peça ou amostra (nos casos que as peças têm volume irregular), e então a balança faz a divisão do valor unitário pelo peso total, informando em números inteiros quantas peças compõem o lote desejado.

E como decidir o valor de investimento a ser feito?

A escolha da balança ideal para a contagem de estoque está relacionada à precisão ou volume de produtos com essas características: Podem ser utilizadas desde balanças simples e de menor custo e precisão (onde se aconselha utilizar a amostra e calcular o peso médio) ou até mesmo investir em processos mais sofisticados, utilizando prateleiras inteligentes ou almofadas de pesagem nas posições de armazenamento, integradas por cabo de rede ao sistema de gerenciamento do estoque.

Práticas como essa tornam os processos de inventário mais ágeis e confiáveis, melhorando o desempenho dos mecanismos de controle e planejamento das empresas.

(Marco Vieira - Gerente de Projetos)